Liquefação e condensação: qual é a diferença?

em 3/31/2020


Você sabia que liquefação e condensação não são exatamente a mesma coisa?






É comum que a liquefação e a condensação sejam tratadas como sinônimos. Contudo, neste post, veremos que existe sim uma pequena diferença entre estes dois conceitos.


Para começarmos, precisamos entender qual é a diferença entre gás e vapor. No dia-a-dia, também tratamos 'gás" e "vapor" como sinônimos. Entretanto, quimicamente falando, eles não têm o mesmo significado.

Primeiramente, ambos os conceitos se referem à mudança do estado físico gasoso para o estado físico líquido. Todavia, podemos chamar uma substância de vapor quando, nas condições normais de temperatura e pressão (CNTP), ela não for naturalmente gasosa. Ou seja, na CNTP ela se apresenta  no estado líquido ou sólido.

Por exemplo, na CNTP a água é líquida. Assim, se ela estiver no estado gasoso será considerada vapor. Tenho certeza que você já ouviu falar que no ar que respiramos tem "vapor de água". Neste estado físico, por não estar no seu estado natural, rapidamente a água tende à retornar ao estado líquido.

Por outro lado, o gás é uma substância que, na CNTP, se apresenta naturalmente no estado gasoso. Por exemplo, o 'gás oxigênio" é um gás, assim como o gás nitrogênio, hidrogênio, argônio, neônio, carbônico etc.



"Ok, profa. acho que entendi! Mas por que não chamar tudo de gás ou de vapor?"


Apesar de tanto o vapor quanto o gás se referirem ao estado físico gasoso, não é correto afirmar que seus conceitos tem o mesmo significado porque existe uma grande diferença de energia e estabilidade entre eles.


Uma substância 'vaporizada", ou seja, que passou no estado líquido para o estado gasoso (e que na CNTP não está naturalmente no estado gasoso) pode retornar ao estado líquido ou sólido com muita rapidez e facilidade.

Essa situação é facilmente observada, por exemplo, quando retiramos um recipiente ou alimento da geladeira e o deixamos na mesa da cozinha por alguns minutos. 


O que você observará após esses minutos? 

Muitas pessoas dizem que o recipiente ou alimento começa a "suar", isto é, formam-se gotículas de água na superfície.


Quimicamente falando, essas gotículas não saíram do recipiente ou do alimento. Elas saíram do ar! Isso mesmo, além de todos os gases contidos no ar, há vapor de água.  E este vapor se condensa na forma de gotículas ao encontrar uma superfície mais fria.

A mesma situação ocorre na janela e nas paredes do banheiro ao tomar banho. A água quente que sai do chuveiro, muitas vezes, sai tão quente que, rapidamente, se vaporiza. Contudo, ao entrar em contato com o azulejo ou a janela, que estão numa temperatura menor, ela se condensa.


Gotículas de água condensadas no vidro da janela

Esta é apenas uma singela explicação sobre a diferença entre gás e vapor, aprofundaremos isso em outro momento utilizando-se do diagrama de fases e da temperatura crítica.

Porém, com essa pequena explicação, sei que você conseguiu compreender a diferença entre gás e vapor. Desse modo, podemos discutir agora sobre o conceito de condensação e liquefação!


A condensação é quando a substância - um vapor - muda do estado gasoso para o estado líquido. O vapor se condensa facilmente pois é instável neste estado físico. Não sendo natural para uma substância estar no estado de vapor, ou seja, gasoso, ela sempre tenderá retornar ao seu estado físico natural e mais estável.


A liquefação refere-se à mudança do estado gasoso para o estado líquido de um gás. Como falamos, uma substância que, na CNTP, está no estado gasoso é um gás. Nestas condições, os gases são substâncias mais estáveis na forma gasosa.  Isso significa que é mais difícil mudar seu estado físico à temperatura ambiente.


Assim, para que realmente seja possível liquefazê-lo precisamos colocá-lo em uma equipamento ou recipiente para diminuir sua temperatura já que a temperatura ambiente não é suficiente!


Para você ter uma ideia, o ponto de ebulição do gás oxigênio é -183ºC! É uma temperatura muito baixa, né? Se não fosse possível diminuir a temperatura, teríamos que comprimir o gás oxigênio (submetê-lo a uma determinada pressão) para liquefazê-lo. Deve dar um trabalhinho, não é mesmo?

Também é possível combinar o abaixamento da temperatura e o aumento da pressão.


Liquefação é quando um gás muda para o estado líquido.


Fonte da imagem: Oximorena. Na foto há cilindros de oxigênio medicinal. 


Você já viu um cilindro de oxigênio ou nitrogênio? Nele, o gás está liquefeito graças à pressão que existe em seu interior. É por isso que o cilindro deve ser feito de um material bem resistente que suporte a pressão interna.


É importante frisar que, como eu disse no início do post, liquefação e condensação, muitas vezes, são tratados como sinônimos por muitos livros e instituições. Porém, é importante que você saiba a diferença. Se você é concurseiro (a) ou vestibulando (a) fique atento às questões da banca!  


Conseguiu entender a diferença entre condensação e liquefação? Tenho certeza que agora você não irá mais confundir!

Há uma explicação um pouco mais aprofundada sobre a diferença de vapor e gás. Também tenho muito mais informações para te passar sobre liquefação e condensação.

Fique atento (a) às próximas postagens!


Nenhum comentário , comente também!

Postar um comentário